10 anos: veja como o iPhone evoluiu até chegar ao iPhone X

A Apple apresentou nesta terça-feira os novos iPhones direto da nova sede da empresa, em Cupertino. Os aparelhos marcam a comemoração dos dez anos de lançamento da linha de smartphones que sacudiu o mundo e ditou tendências.

O primeiro iPhone foi apresentado no dia 9 de janeiro de 2007 unindo celular, reprodutor de música e navegador de internet.  A tela sensível ao toque era um destaque, operada com os dedos e dispensando o uso de canetas. O primeiro iPhone trazia até 16 giga de armazenamento, 128 mega de RAM e conexões Wi-Fi e 2G. Já a câmera de 2 megapixels podia apenas fotografar, sem funções de vídeos.

Em 2008, a Apple lançou uma nova versão do seu smartphone: o iPhone 3G. O telefone ganhou suporte a conexões de maior velocidade. O destaque fica a estreia da loja de aplicativos App Store, que também mudou a forma como usamos o celular. Já no ano seguinte, a empresa introduziu o primeiro aparelho de geração “S”, mantendo o design e aprimorando especificações e recursos, com a chegada aos 256 mega de RAM.

Em 2010, a Apple fez a sua primeira grande mudança de design no lançamento do iPhone 4, que também trouxe a tela Retina e a primeira câmera frontal, com 512 mega de RAM. A geração seguinte trouxe o iPhone 4s, com o primeiro processador de dois núcleos e a criação da assistente Siri.

O iPhone 5 trouxe novas mudanças estéticas, com uma tela de 4 polegadas e um acabamento de alumínio, e internas, com suporte a 4G, 1 giga de RAM e o novo conector Lightning. Em 2013, foi a vez do iPhone 5s chegar, com o primeiro processador com tecnologia 64 bits e leitor de impressões digitais TouchID. A Apple também lançou neste ano o iPhone 5c, que nada mais era que o iPhone 5 em um corpo de plástico.

Em 2014, a Apple cedeu de vez à tendência de telas grandes e lançou o iPhone 6 em versões de 4,7 e 5,5 polegadas. O aparelho trouxe uma série de melhorias técnicas, mas ficou marcado por relatos de que ele entortava no bolso das pessoas. Novas funcionalidades vieram no ano seguinte, com o iPhone 6s e a introdução do 3D Touch, capaz de reconhecer diferentes níveis de pressão na tela. O modelo também usou um alumínio mais resistente para solucionar o problema dos entortamentos.

Em 2016, as coisas começaram diferentes, com o iPhone SE para quem sentia falta dos celulares pequenos. O aparelho trouxe configurações quase iguais às do iPhone 6s mas em uma embalagem menor. Na segunda metade do ano foram lançadas duas versões do iPhone 7, com resistência IP68 contra água, câmera dupla no modelo maior e a eliminação da entrada de fone de ouvido. O aparelho também trouxe poucas mudanças visuais em relação a geração anterior.

Chegando aos novos aparelhos, o iPhone 8 foi apresentado com um design de metal e vidro, e suporte à tecnologia de carregamento sem fio. O aparelho traz o novo processador Apple A11 Bionic e uma câmera de 12 megapixels especialmente preparada para a realidade aumentada. Já o iPhone 10 chega com a promessa de ditar os avanços dos próximos dez anos. O aparelho tem uma tela OLED de 5,8 polegadas sem bordas. O botão home foi substituído por gestos na parte inferior do display, enquanto o FaceID desbloqueia o telefone com reconhecimento facial no lugar das impressões digitais. No mais, o modelo repete as mesmas configurações do iPhone 8. Ahh... E prepare o seu bolso: o iPhone 8 vai custar a partir de 700 dólares e o iPhone 10 será vendido por mil dólares.



RECOMENDADO PARA VOCÊ